21/06/2018

Dicas para praticar natação em águas abertas

images/sup.jpg

Somando isso aos inúmeros lagos e rios espalhados por todo o País, os esportes em águas abertas se colocam como uma opção para quem quer se exercitar. Mas é preciso muito cuidado ao se aventurar pelas águas.

Na natação em águas abertas, não há bordas para se direcionar. A água pode ser bem turva e atrapalhar bastante a visão. O atleta precisa se orientar levantando a cabeça para marcar a direção a seguir. A correnteza é outra diferença. Tem que ter um bom guia que conheça bem a região para nadar em segurança. É preciso estar acompanhado e ter cuidado com correntezas, ondulações e com as embarcações, avisa Júlia Camargo, organizadora do evento esportivo Rei e Rainha do Mar, que ocorre em cidades brasileiras há nove anos com mais de 60 mil participantes.

“O cuidado principal é não nadar sozinho, especialmente se você está começando. Cuidados com as correntezas, ondulações e até embarcações (dependendo de onde o atleta treina) são importantes. Recentemente, foi lançada uma boia que fica presa ao corpo do atleta e não impacta em nada a performance dele, mas garante mais segurança pois caso o atleta canse, ele pode se apoiar na boia e ainda aumenta consideravelmente a visibilidade do atleta perante embarcações”, informa Júlia.

Outras dicas são o uso de protetor solar e se manter bem hidratado, consideradas premissas básicas para esporte ao ar livre. Já o SUP é tratado como uma opção para curtir práticas nas águas mesmo para quem não sabe surfar. A prática pode ser levada como uma atividade física diferente ou um passeio menos convencional. Mesmo com a prancha e o remo, os cuidados também não são poucos e as instruções de segurança devem ser seguidas à risca.

“Tem que ter os cuidado, usar equipamento de segurança, avisar para alguém em terra a direção está indo e, de preferência, não remar sozinho”, lembra o proprietário do Clube de Remo Brasília, André Correa, que aluga pranchas de SUP no Lago Paranoá, em Brasília, há seis anos. Uma dica importante é levar em conta a direção do vento. Para André, no início da prática, o ideal é remar contra o vento. Isso porque na volta, quando se está mais cansado, o recurso vai ajudar em vez de gerar resistência.

Júlia ainda explica que para a prática do SUP, não há uma diferença significativa entre água doce ou salgada. “A diferença não é tão grande como para a natação, que sente mais a variação de densidade da água salgada para água doce. No evento que realizamos em Brasília, os atletas de SUP lutaram muito contra o vento e isso varia de local para local”, destacou. Como alerta a responsável pela competição, na natação, esse é um fator determinante.

A densidade da água pode variar. Nos rios e lagos, é de aproximadamente 1 grama por centímetro cúbico. Já no mar é, em média, 1,03 grama por centímetro cúbico, principalmente por conta da presença de cloreto de sódio. A variação da densidade da água doce e da salgada é pequena, apenas 3%, mas é suficiente para sentir diferença no empuxo. Por isso, nadar no mar é mais fácil. Mas não se engane.

Importante lembrar
Nadar em ambientes externos exige cuidado redobrado. É certificar das condições do local, tem que ter um bom preparo físico e nadar sempre com o acompanhamento de um profissional que esteja apto a socorrer caso o atleta sinta, por exemplo, uma cãibra ou tenha algum tipo de intercorrência no percurso.

“Muitas vezes o atleta tem ótima referência na piscina, um quadradinho fechado. Ao colocá-lo em águas abertas, pode desenvolver pânico, medo do desconhecido. O psicológico pode se abalar ao ser colocado numa vastidão ou em locais onde a orientação se dá por uma árvore, uma montanha, uma boia”, explica o treinador Hugo Lobo Filho, que foi treinador da Seleção Brasileira de Natação.

Piscina de natação / Foto: KarinaZambrana

Outras diferenças
Na natação, a posição do corpo na água também varia. Na natação de piscina, o nado é mais plano e os nadadores procuram alinhar seu corpo com a água. Nas águas abertas, a posição da cabeça é mais alta e existe uma constante elevação da mesma para que o nadador consiga se localizar durante o exercício.

Benefícios
O SUP é um exercício físico completo, trabalha o corpo inteiro. Induz à concentração e ao equilíbrio. Tem baixo impacto e alto gasto calórico. No decorrer de uma hora a atividade pode queimar de 300 a 700 calorias. Por trabalhar o centro de gravidade, é excelente para coluna, ligamentos e musculatura abdominal. Quando feito com a postura ideal, ajuda a evitar possíveis lesões e ainda contribui com a melhora a postura a longo prazo. Isto porque o abdome é o principal responsável por preservar a coluna lombar.   

“Dos principais benefícios da natação de águas abertas eu considero a relação com a natureza. Seu treino nunca é igual já que o mar a cada dia está de uma maneira – águas mais claras ou mais escuras, mais quentes ou muito geladas, com ou sem onda, e às vezes até com a visita de animais marinhos como tartarugas. Além disso, os treinos em águas abertas normalmente são realizados em turma e a sensação de não estar treinando sozinho é maior do que na piscina. Além de praticar esporte, você acaba fazendo uma rede de novos amigos”, explica Júlia.

Compartilhar:

A+

A-

A



Acesse também

Parceiros