25/09/2018

Dicas de alimentação para ter um coração saudável

Dieta cardioprotetora orienta o que comer e evitar para ter um coração saudável, inclusive para hipertensos, diabéticos e pessoas com colesterol alto

Coração saudável: prato de salada de folhas verdes

A Dieta Cardioprotetora Brasileira (Dica BR) propõe uma alimentação saudável e adequada para prevenir doenças do coração. Desenvolvida pelo Ministério da Saúde em parceria com o Hospital do Coração (HCOR), traz alimentos separados por grupos com as cores da bandeira do Brasil. De forma lúdica e simplificada, separa os alimentos ao mesmo tempo que ressalta a cultura alimentar brasileira.

A Dica BR pode ser adotada por qualquer pessoa, mas é indicada para grupos específicos. “A Alimentação Cardioprotetora é indicada para a promoção da saúde no sentido de prevenir que uma pessoa que tenha um fator de risco (obesidade, hipertensão, diabetes e dislipidemias) não venha a desenvolver uma doença cardiovascular. Mas ela também é indicada para quem já tem doenças do coração”, explica Enilda Lara, nutricionista do Hospital do Coração (HCor), de São Paulo.

Na prática, o prato da refeição de cada dia deve seguir a mesma lógica da bandeira brasileira: a maior área deve ser ocupada por alimentos do grupo verde, seguido pelos grupos amarelo e azul. Já o grupo vermelho, que inclui os alimentos ultraprocessados, deve ser expressamente evitado. Confira os alimentos de cada grupo:

Grupo verde
• Verduras (alface, repolho, couve, brócolis, espinafre, agrião)
• Frutas (banana, abacaxi, maçã, uva, limão, manga, morango, mexerica, laranja)
• Legumes (cenoura, tomate, chuchu, maxixe, abóbora, beterraba, abobrinha, berinjela)
• Leguminosas (feijão, soja, ervilha, lentilha)
• Leite e iogurtes sem gordura (desnatados ou semidesnatados)

Grupo amarelo
• Pães (francês, caseiro, de cará, integral)
• Cereais (arroz branco e integral, aveia, granola, linhaça)
• Macarrão
• Tubérculos cozidos (batata, mandioca, mandioquinha, inhame, cará)
• Farinhas (mandioca, tapioca, milho, rosca)
• Oleaginosas (castanha-do-Brasil/Pará, caju, nozes)
• Óleos vegetais (soja, milho, azeite)
• Mel, goiabada, doce de abóbora, cocada, geleia de frutas

Grupo azul
• Carnes (de boi, porco, frango e peixe)
• Queijos brancos e amarelos
• Ovos
• Manteiga
• Doces caseiros (pudim, bolos, tortas, mousses)
• Leite condensado
• Creme de leite

Grupo vermelho
• Macarrão instantâneo
• Salgadinhos de pacote
• Biscoitos e bolachas
• Embutidos (presunto, mortadela, salame)
• Sucos industrializados (em pó ou em caixinha)
• Refrigerantes
• Linguiça e salsicha
• Nuggets, hambúrguer congelado
• Achocolatado em pó
• Refeições congeladas industrializadas (ex: lasanha)
• Molhos industrializados (ketchup e mostarda)
• Sorvete (massa ou picolé)
• Farinha láctea

Orientações para hipertensos, diabéticos, obesos e pessoas com colesterol alto

Os indivíduos que possuem algum fator de risco para doenças do coração necessitam de orientações nutricionais especiais. De acordo com a especialista do Hospital do Coração, são elas:

- Aos hipertensos, recomenda-se controle da ingestão de sódio, presente no sal adicionado aos alimentos e nos alimentos processados e ultraprocessados. Também é importante que consumam maior quantidade de frutas, verduras e legumes, aumentando o aporte de potássio. Com isso, a pressão arterial será melhor controlada.

-  Os diabéticos tipo 2 necessitam controlar a ingestão do açúcar, principalmente na forma de sacarose. Por isso, devem evitar o açúcar branco, inclusive incorporado nas preparações culinárias, como bolos, tortas e doces caseiros.

- Indivíduos com excesso de peso precisam encontrar o balanço energético consumindo a quantidade de alimentos e calorias adequadas para o funcionamento do corpo e realização das atividades diárias.

- Quem está com colesterol alto, ou seja, os dislipidêmicos, precisam evitar principalmente o consumo de gordura saturada e trans. A gordura saturada está presente nas carnes, pele do frango, queijo, entre outros. A  gordura trans está em produtos industrializados como bolachas recheadas, biscoitos, sorvetes, creme de padaria, entre outros.

“A Alimentação Cardioprotetora inclui as orientações específicas para indivíduos com algum fator de risco para doenças do coração em uma só recomendação”, destaca Enilda.

 

 

Compartilhar:

A+

A-

A



Visite o Portal da Saúde

Acesse o Blog da Saúde

Publicações do Ministério da Saúde

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

Ministério do Esporte