06/12/2017

Arroz com feijão e alimentos com fibras: dois grandes aliados da alimentação dos idosos

Antes dominantes nos pratos brasileiros, os alimentos frescos hoje em dia competem com os produtos processados. Atualmente, muita gente deixa de preparar a própria comida.

Foto: Shutterstock

O alerta já bateu à porta de toda a população e o idoso, em especial, deve ficar atento à questão, uma vez que precisa de um cardápio rico em carboidratos e fibras.

"Uma das questões gerais da alimentação saudável é que a base é composta por carboidratos. A base da alimentação brasileira é o arroz e feijão, que devem estar presentes nas principais refeições. Então, se o idoso já se baseou nisso por toda a vida, deve continuar quando chega a esta fase, principalmente ele que precisa de energia e disposição", explica Karina Pfrimer, nutricionista pesquisadora da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (SP). "O brasileiro está perdendo esse costume do arroz com feijão e apostando muito nos alimentos processados. O alerta é que esses tipos de produtos têm sódio, açúcar, gorduras. E isso tudo em excesso faz mal à saúde. Para o idoso, então, é ainda mais complicado, uma vez que esses produtos processados não são ricos em fibras, extremamente importantes para uma dieta saudável. Naturalmente o idoso diminui a atividade física, fica mais dentro de casa e ao consumir pouca fibra sofre com a constipação (prisão de ventre)."


Foto: Karina Zambrana/Ministério da Saúde

 

O tradicional arroz e feijão prato é uma combinação completa e nutritiva. Varie os tipos de feijões usados (preto, manteiga, carioquinha, verde, de corda, branco e outros) e use também outros tipos de leguminosas (como soja, grão-de-bico, ervilha, lentilha ou fava). Se você tem habilidades culinárias, procure desenvolvê-las e partilhá-las com familiares e amigos. Também vale conversar com as pessoas que saibam cozinhar. Peça receitas a familiares, amigos e colegas, leia livros, consulte a internet e pergunte na feira maneiras diferentes de se preparar o alimento fresco. A ideia é descobrir o prazer de preparar a própria refeição.

O idoso deve dar preferência aos grãos integrais e alimentos na sua forma mais natural, pois eles colaboram com a boa nutrição e com a energia que será gasta no dia a dia. Assim, também é importante incluir nas principais refeições alimentos como milho, batata e mandioca (macaxeira/aipim). As atividades de planejar as compras de alimentos, organizar a despensa doméstica e definir com antecedência o cardápio da semana podem contribuir para a sua satisfação com a alimentação. Em supermercados, feiras e outros estabelecimentos, utilize uma lista de compras para não comprar mais do que o necessário.

Leia também:

» Bons hábitos alimentares e rotina saudável ajudam no bem estar dos idosos

 

» Conheça os fatores que influenciam a alimentação de pessoas com mais de 60 anos

 

» Idosos precisam ter ainda mais atenção com a hidratação

 

 

Use alimentos de sua região

A publicação Alimentos Regionais Brasileiros, do Ministério da Saúde, é um bom guia para aguçar a criatividade na hora de montar o cardápio. O objetivo principal é divulgar a imensa variedade de frutas, hortaliças, tubérculos e leguminosas do nosso país, além de apoiar a educação alimentar e nutricional e incentivar a alimentação adequada e saudável. Esse material contribui, ainda, para divulgar a variedade de alimentos em todas as regiões e orientar seu uso em preparações culinárias.

 

» Conheça mais alimentos de nosso país na publicação Alimentos Regionais Brasileiros

 

 

Clique na imagem para ampliar
Clique na imagem para ampliar

 

Compartilhar:

A+

A-

A



Visite o Portal da Saúde

Acesse o Blog da Saúde

Publicações do Ministério da Saúde

Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

Ministério do Esporte