17/01/2018

Como alterar hábitos alimentares arraigados há anos?

images/mudanca_habito_shutterstock_900x600.jpg

Nathalia Pizato, professora do Departamento de Nutrição da Universidade de Brasília (UnB), fala ao Portal Saúde Brasil sobre o assunto. "As pessoas precisam se conscientizar de que devem comer mais frutas, legumes e verduras, diminuir as gorduras saturadas, sal e açúcar e consumir menos bebidas alcoólicas", explica Nathalia Pizato.

Adaptação gradual

A mudança de hábito não precisa necessariamente ser repentina. De uma maneira gradual, a própria pessoa percebe os benefícios adquiridos. “Comece a evitar processados e ultraprocessados. Depois, vá diminuindo as gorduras saturadas, o açúcar, o sal e aquilo que sabemos que não é saudável. Se a pessoa tem alguma resistência à mudança, como aquela que gosta muito de doces, por exemplo, ela precisa de um processo mais adaptativo. Uma sugestão é ir diminuindo a quantidade daquilo que você gosta de comer todo dia para que vá sentindo a mudança. A pessoa coloca muito açúcar no café? Vai diminuindo a quantidade todo dia até que se coloque pouco ou nenhum açúcar. O café é apreciado em muitos lugares do mundo sem açúcar, mas o nosso costume é diferente e só nós podemos mudar isso”, ensina Nathalia Pizato.

"Para muitas pessoas, é mais fácil aceitar essa mudança fazendo uma adaptação gradual. Com o tempo ela vai sentir a melhora, já que a alimentação saudável dá um retorno fantástico, traz um equilíbrio metabólico como um todo. Quanto mais saudável a alimentação, mais recebemos as vitaminas e os minerais necessários. Assim, o organismo responde melhor e você ganha de presente todos os benefícios. A pele responde melhor, o intestino funciona perfeitamente, ganha-se mais tonicidade de músculo, disposição, ou seja, tudo fica em dia e você percebe que a saída é mesmo ter bons hábitos alimentares”, aponta Nathalia Pizato.

Substitua sobremesas

Outra maneira de se conquistar hábitos alimentares mais saudáveis é trabalhar a substituição. Identifique aquilo que você sempre consome que poderia dar lugar a algo mais saudável. “Há sempre aquela questão do doce depois do almoço como sobremesa. Nós temos diversas frutas que têm o açúcar próprio dela e que trazem a mesma sensação de bem-estar que o docinho, mas de uma maneira bem mais saudável”, lembra a nutricionista. "É possível trocar o chocolate ou o pudim por uma fruta de forma gradual. Se a pessoa come quatro quadradinhos do chocolate após a refeição, passa a comer três, depois dois, depois apenas um. Com o passar dos dias, ela acaba trocando o doce pela fruta. Também dá para ir intercalando entre a fruta e o doce até que se acostume ao alimento mais saudável", finaliza a nutricionista.

 

Dra Nathalia Pizato. Foto: Karina Zambrana/MS
Dra Nathalia Pizato. Foto: Karina Zambrana/MS

Compartilhar:

A+

A-

A



Acesse também

Parceiros